Norma Brasileira
add_shopping_cart
star_border
Vigente

Esta Norma estabelece o método da perda de massa para determinação da selagem de camadas anódicas do alumínio e suas ligas. Este método se aplica às camadas anódicas destinadas a fins arquitetônicos e que devem oferecer proteção em ambientes agressivos, localizados em áreas urbanas, rurais, litorâneas, industriais ou marítimas.

Título em inglês

Aluminium and its alloy – Surface treatment – Determination of anodizing sealing – Mass lost method

Comitê

ALUMÍNIO

Número de páginas

2 páginas

08/2020 Publicada confirmação
10/2016 Publicada confirmação
09/2012 Publicada nova edição
10/2006 Publicada nova edição
02/2000 Publicada Errata
05/1999 Publicada nova edição
02/1986 Publicada edição

Normas recomendadas

Alumínio e suas ligas - Tratamento de superfície - Determinação da selagem de camadas anódicas - Método de absorção de corantes
NBR12613 de 10/2006

Alumínio e suas ligas - Tratamento de superfície - Determinação da selagem de camadas anódicas - Método de absorção de corantes

Alumínio e suas ligas — Tratamento de superfície — Determinação da espessura de camadas não condutoras — Método de correntes parasitas (Eddy current)
NBR12610 de 01/2010

Alumínio e suas ligas — Tratamento de superfície — Determinação da espessura de camadas não condutoras — Método de correntes parasitas (Eddy current)

Alumínio e suas ligas — Tratamento de superfície — Requisitos para anodização para fins arquitetônico
NBR12609 de 02/2017

Alumínio e suas ligas — Tratamento de superfície — Requisitos para anodização para fins arquitetônico

Alumínio e suas ligas - Tratamento de superfície - Determinação da consistência da camada anódica - Método da perda de massa
NBR15418 de 04/2009

Alumínio e suas ligas - Tratamento de superfície - Determinação da consistência da camada anódica - Método da perda de massa

Alumínio e suas ligas - Tratamento de superfície - Camada anódica colorida - Determinação da resistência ao intemperismo acelerado
NBR12612 de 01/2008

Alumínio e suas ligas - Tratamento de superfície - Camada anódica colorida - Determinação da resistência ao intemperismo acelerado

Alumínio e suas ligas — Tratamento de superfície — Requisitos para revestimento orgânico para fins arquitetônicos
NBR14125 de 12/2016

Alumínio e suas ligas — Tratamento de superfície — Requisitos para revestimento orgânico para fins arquitetônicos

Alumínio e suas ligas — Tratamento de superfície — Revestimento orgânico — Determinação do brilho da película seca
NBR14126 de 01/2010

Alumínio e suas ligas — Tratamento de superfície — Revestimento orgânico — Determinação do brilho da película seca

Alumínio e sua ligas - Tratamento de superfície - Película seca de tintas e vernizes - Determinação da resistência ao impacto
NBR14127 de 01/2008

Alumínio e sua ligas - Tratamento de superfície - Película seca de tintas e vernizes - Determinação da resistência ao impacto

Alumínio e suas ligas — Tratamento de superfície — Determinação da resistência à abrasão da camada de anodização dura — Método de Taber
NBR14128 de 08/2010

Alumínio e suas ligas — Tratamento de superfície — Determinação da resistência à abrasão da camada de anodização dura — Método de Taber

Alumínio e suas ligas - Tratamento de superfície - Determinação da flexibilidade do revestimento orgânico - Mètodo do mandril cônico
NBR14615 de 10/2006

Alumínio e suas ligas - Tratamento de superfície - Determinação da flexibilidade do revestimento orgânico - Mètodo do mandril cônico

Imprimir